Democratas do Mundo, Uni-vos

Paulo César Batista Nunes da Cunha; Tiago Resende Botelho; Luiz Carlos Ormay Jr. (Orgs.)

A democracia deve ser encarada como um conceito substantivo, em que o resultado da decisão deve respeitar a Constituição, que, por sua vez, originou-se também da decisão do povo. Em outras palavras, democracia não é apenas como, mas também o quê. Entender essa aparente dicotomia é essencial para concluir que a democracia não pode ser utilizada como instrumento para destruir a própria democracia. Na democracia os limites são claros e expressos na Constituição Federal. É na busca de tirar o véu do espanto que este livro busca registrar para o passado, o presente e o futuro, análises científicas de um país que por escolha das elites vem destruindo seu projeto de sociedade expresso na Constituição Federal e vilipendiando a recém, porém surrada, democracia brasileira. As autoras e os autores se preocupam com as agruras e aspirações da sociedade brasileira, pois como afirma Boaventura de Sousa Santos cabe aos intelectuais de retaguarda o pensamento crítico, pois caso contrário “[...] os cidadãos estarão indefesos perante os únicos que sabem falar a sua linguagem e entender as suas inquietações. Em muitos países, esses são os pastores evangélicos conservadores ou os imãs do islamismo radical, apologistas da dominação capitalista, colonialista e patriarcal” (SANTOS, 2020). Sendo assim, o livro “Constitucionalistas e Democratas do Brasil, uni-vos!” busca, por meio de doze artigos, refletir a história do tempo presente que, estranhamente, caminha lado a lado com a distopia. Como afirma Saramago “é necessário sair da ilha para ver a ilha. Não nos vemos se não saímos de nós”. Que estas leituras possam nos ajudar a sair do lugar comum.

 

Nº de pág.: 306

ISBN: 978-65-5917-094-4

DOI: 10.22350/9786559170944