Consenso e conflito: uma reconstrução da Teoria Crítica da democracia

Maikon C. S. Scaldaferro

O trabalho de Maikon Scaldaferro apresenta e discute a teoria da democracia de Jürgen Habermas e de Axel Honneth, ambos continuadores e, ao mesmo tempo, renovadores da Teoria Crítica da Escola de Frankfurt. Na opinião do autor, a Teoria Crítica da democracia reúne de modo exemplar as diferentes funções da filosofia política especificadas por John Rawls: a de mediação de conflitos entre posições que se antagonizam no debate público, a de formulação de critérios que sirvam para avaliar criticamente uma comunidade política existente e para sugerir seu melhoramento democrático, a de reconciliação com a realidade política por intermédio de diagnósticos do tempo presente e seu possível alinhamento com nossas expectativas normativas, e, last but not least, a de imaginação de uma utopia possível, sustentando assim uma espécie de esperança razoável na realização de uma ordem política efetivamente democrática. Levando em conta tanto a amplitude do objeto de estudo − a democracia − quanto a complexidade dos autores considerados − Habermas e Honneth −, o que chama a atenção é a impressionante amarração conceitual realizada pelo autor, apresentando o significado de uma Teoria Crítica da democracia, os obstáculos por ela enfrentados e as expectativas normativas por ela carreadas, sob o olhar, às vezes aquiescente, outras vezes discrepante, da questão filosófica maior acerca das condições de possibilidade da democracia.

Luiz Bernardo Leite Araujo

UERJ/CNPq

 

Nº de pág.: 352

ISBN: 978-65-5917-153-8

DOI: 10.22350/9786559171538