Criminologias, Controle e Tecnologias Emergentes

Eduardo Baldissera Carvalho Salles; Fernando Vechi; Jádia Larissa Timm dos Santos (Orgs.)

Não dá para contar o presente sem falar da pandemia. É ela que habita nossas mentes. Em todas as partes os cadáveres recheiam as covas dos cemitérios, como se estivéssemos revivendo as guerras e pestes que, quase sempre, nos pegam com as calças na mão. Com os pés trocados, entre a inquietação e a confiança, cremos que a doença não atingirá os nossos e esquecemos que “o pior da peste não é que mata os corpos, mas que desnuda as almas” (Camus). Em isolamento domiciliar, essa peste nos golpeia forte, abala o sentido de nossa existência e transforma o cotidiano em uma absurda repetição diária. Sem futuro, os dias passam em suspensão, em um hiato de nossos planos de vida. Tateamos uma saída, uma luz, que nos conduza para longe de tudo isso. Mesmo assim, os fatos nos caem feito pedra e somos impelidos, como Sísifo, a tentar novamente. A esperança de recolocar a vida em movimento é a chama que nos aquece o coração.Essa compulsão por manter o domínio de nossas vidas nos tornou digitais. Para continuar com nossos projetos, explodimos os limites entre on e off-line para trabalhar desde nossas casas. Se já havia uma tendência no emprego de novas tecnologias digitais nos mais diferentes setores, a pandemia serviu como um bacilo que catalisou e deu impulso a um processo já em marcha. Quem diria que até mesmo os mais resistentes à digitalização da vida se renderiam tão rapidamente a esses dispositivos? Essas circunstâncias alteraram profundamente os paradigmas interpretativos da realidade. Se antes não largávamos o smartphone, agora nossas relações de trabalho e estudos estão ainda mais dependentes da tecnologia. A pandemia fez com que todos corressem contra o tempo para adotar ferramentas que possibilitassem a continuidade remota de suas atividades. Para os pesquisadores das ciências sociais aplicadas, emerge a necessidade de compreender as causas, as consequências e as prospecções possíveis nesse novo cenário. Essa mesma inquietação e confiança foi a que nos moveu a organizar esta obra coletiva, a qual reúne escritos de pesquisadoras e pesquisadores que se debruçam sobre o controle e as novas tecnologias, no âmbito das Ciências Criminais.

 

Nº de pág.: 218

ISBN: 978-65-5917-157-6

DOI: 10.22350/9786559171576