Educação e trabalho, utopias possíveis nos espaços da EPT, volume 1: produtos educacionais, sujeitos e aproximações em ambientes sociais

Leia Adriana da Silva Santiago; Mirelle Amaral de São Bernardo; Marco Antônio de Carvalho; Matias Noll (Orgs.)

Não podemos simplesmente nos ancorar na repetição de frases feitas como tem sido comum; precisamos ir além, construir a utopia e reduzir a distância entre a teoria e a prática, entre a formação humanística e a voltada para o trabalho. Eis o grande desafio: a combinação contraditória de “medo e ousadia” necessária ao exercício diário da docência em um país onde os professores estão na berlinda. temerosos do que pode lhes acontecer por contestar a ordem vigente e colocar “doutrinar” crianças e jovens. Nesse cenário de resistência, a Educação Profissional e Tecnológica (EPT) se apresenta como um dos espaços de contra-hegemonia, ao proporcionar, por meio do ProfEPT, uma formação a partir dos eixos trabalho, ciência, tecnologia e cultura. Evidentemente, nas instituições que compõem a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, como em quaisquer espaços de educação formal, as políticas de currículo estão em uma constante disputa desde a sua elaboração até o contexto em que são praticadas, como nos ensinam Stephen Ball e Richard Bowe a partir da abordagem do ciclo de políticas. Desse modo, não é difícil vermos confrontos de ideias e de propostas sobre o que é e para que serve a EPT. De um lado, encontramos aqueles que compreendem a formação para o trabalho como etapa necessária para constituição do ser humano, visto que somos o que somos pelas nossas ações e mediações sobre e com a natureza. “O que homem é, é-o pelo trabalho. A essência do homem é um feito humano” nos diz Saviani. A contrapelo da concepção de trabalho como princípio educativo, temos os defensores de uma formação pragmática para o trabalho, restrito apenas à oportunidade de se inserir no mercado e satisfazer as demandas deste, visto que, diariamente as empresas exigem mais qualificação, tornando o trabalhador culpado pelo fato de estar desempregado. Felizmente, a obra Educação e trabalho, utopias possíveis nos espaços da EPT: produtos educacionais, sujeitos e aproximações em ambientes sociais, parece seguir pelo caminho oposto às determinações do mercado ao apresentar, nos seus oito capítulos, alternativas para a inclusão social e metodologias para o ensino na EPT.

Francisco das Chagas Silva Souza

ProfEPT/IFRN

Nº de pág.: 182

ISBN: 978-65-5917-164-4

DOI: 10.22350/9786559171644