Filosofia e saúde, volume 1: pensando a pandemia na época da insensatez

Edvaldo Antonio de Melo; Cristiane Pieterzack (Orgs.)

Filosofia e Saúde: pensando a pandemia na época da insensatez foi gestado no contexto particular da história da humanidade marcado pela perplexidade do tempo na pandemia de COVID-19. O livro nasce com um desafio: como pensar e escrever no contexto específico da pandemia? Como escrever o “quase não dito”, o (im)pensável da ordem da carnalidade de nossa escritura? Trata-se, certamente, de uma escritura do silêncio sussurrada nas entranhas de nosso ser, carne e corpos expostos aos riscos da contaminação. Do sussurro emerge uma fala que sai gritando: Cuidado! Atenção! Um grito e um silêncio que dizem a partir de um lugar único e comum na história da humanidade: o sofrimento. É dessa experiência escutada, refletida e discutida que surge este livro – escritura de nosso ser – com o objetivo de colocar a filosofia em diálogo com a situação atual da saúde, na sua interface com outras áreas do saber como: a ética, a antropologia, as ciências sociais e políticas; e na fronteira com as questões ligadas ao direito, ao Estado, e sobretudo à saúde pública. O livro revisita temas dos pensadores antigos, sobretudo das civilizações gregas e romanas nas quais a saúde emerge em seu sentido mais amplo, envolvendo a vida na polis, a medicina, o equilíbrio cósmico e sua implicação com a antropologia. Uma nova questão se impõe à filosofia: neste cenário catastrófico da pandemia, como nos livrar da “des-razão”?

Nº de pág.: 198

ISBN: 978-65-5917-184-2

DOI: 10.22350/9786559171842