Tendências no ensino de Filosofia e suas influências no contexto do ensino médio

João Paulo Bastos da Silva

Neste livro, traçarmos a trajetória do ensino de Filosofia no Brasil do século XX, seus encontros e desencontros, marcaram assim, a caracterização do ensino filosófico desde o período republicano até sua retirada durante o regime militar através da Lei nº. 5.692/71. Neste contexto, conturbado em meio ao regime militar que culminou na banalização e exclusão do ensino de Filosofia, surgiu então, no final da década de setenta, vários movimentos de professores de Filosofia, que lutaram em defesa do retorno e da sua presença enquanto disciplina aos currículos escolares do então chamado segundo grau, estes movimentos foram de suma importância, pois graças as suas lutas e resistências, a Filosofia retornou como disciplina obrigatória do ensino médio, por sanção da Lei nº. 11.684/2008. Analisamos as tendências de Kant e Hegel, que marcaram a trajetória do ensino de Filosofia em nosso país, bem como, suas problemáticas em torno das seguintes questões: “aprender a filosofar” ou “ensinar filosofia”, estas contraposições serviram de base para enriquecer o debate e a reflexão acerca da ensinabilidade da disciplina filosófica no contexto do ensino médio.

Nº de pág.: 57

ISBN: 978-65-5917-215-3

DOI: 10.22350/9786559172153