Desproporção e falibilidade como possibilidade do mal em Paul Ricoeur

Hélio Rafael Frazão Pereira; Dilonei Pedro Müller

Mediante a tantas ações perversas cometidas pelo ser humano, o presente livro tem por finalidade compreender a possibilidade do mal. Deste modo, aborda a filosofia de Paul Ricoeur, principalmente a antropologia, compreendendo se há uma relação entre desproporção e falibilidade para a possibilidade de o humano agir mal. A pesquisa se pauta, neste contexto, em entender, primeiramente, a condição patética do humano frágil, retomando filósofos anteriores como Pascal, o qual afirma o ser humano miserável e desproporcionado que não se reconhece como tal, ou Descartes, que entende o humano entre o anjo e a besta ou entre o ser e o nada. Posteriormente, se analisa as desproporções a nível do conhecer, do agir e do sentir, a partir das sínteses, que possui um papel importante na filosofia de Ricoeur, seguindo um caráter aristotélico da virtude no equilíbrio ou por um viés kantiano. Para Ricoeur, a síntese é o ponto crucial, de tal maneira que, quando não há síntese no coração humano, no âmbito afetivo, a fragilidade se mostra em forma de conflito entre o vital e o espiritual. A falibilidade advém desse intermédio de desproporção que não encontra uma síntese no coração humano desejoso, que busca as demandas do ter, poder e valer. Desse modo, a relação entre desproporção e falibilidade, ou possibilidade do mal, é que ambas podem ser consideradas sinônimas para Ricoeur. Contudo, é preciso entender que a pesquisa se ateve à possibilidade e não à realidade do mal, pois entre os dois termos há um grande abismo. Portanto, esta reflexão tenta compreender a ontologia da desproporção humana e descobrir, na constituição estrutural do ser humano, as condições de possibilidade do mal.  

Nº de pág.: 118

ISBN: 978-65-5917-232-0

DOI: 10.22350/9786559172320